Avançar para o conteúdo
retábulo da capela funerária de Álvares de Sousa ou de Santo António da Porta

Capela Funerária de Luís Álvares de Sousa

Retábulo de Santo António da Porta

Data: Século XV (arco da capela)
Segunda metade do século XVIII (altar)
Período/Estilo: Gótico (arco da capela)
Rococó (altar)

Este retábulo situa-se numa capela fundada em 1474, por Luís Álvares de Sousa, cujas armas se encontram esculpidas no arco em calcário que lhe dá acesso.
O arco de entrada é o único elemento sobrevivente desta capela funerária e constituí um dos vestígios medievais que ainda se pode observar na Igreja. A qualidade de execução do programa decorativo, o material utilizado e a sua data, levam a atribuir a sua autoria a Diogo Pires-o-Velho.
O seu interior, forrado de talha, enquadra um retábulo da fase rococó, em madeira dourada e policromada, com fingimentos de mármores e superfícies lisas ornamentadas com singelas grinaldas, fitas, laços e cartelas. O que mais surpreende neste retábulo é a delicadeza dos seus perfis ondulados, nomeadamente na sua mesa de altar, inspirada nas consolas francesas, tendo como remates duas caras de meninos alados nos seus extremos.
O nicho central destaca uma imagem em pedra do Santo António de Lisboa.

A utilização de cookies neste website tem como principal objetivo melhorar a sua experiência. Ao clicar em qualquer link nesta página está a dar-nos a permissão para usar cookies. Política de cookies